domingo, 15 de fevereiro de 2015

VASO DE BARRO: aparência frágil, conteúdo valioso.



Olá, povo lindo! Esse é meu 4º livro lido esse ano. Demorei um pouco para fazer a resenha, pois tinha posts que queria lançar ainda esse mês. Como por exemplo o das séries que estou assistindo. 
Bom, para quem quiser acompanhar minhas loucuras de leituras, está - AQUI -.
Esse livro eu peguei emprestado, do Gilberto, valeu homem de Deus,  mas quero muito um exemplar para guardar na minha mine biblioteca. Você não esta interessado em me dar de presente? Brincadeira.
O livro trás uma história curta, porém rica em detalhes sobre a profetisa. Esse é um livro que surgiu na época certa, logo quando comecei a fazer o diário de leitura dos escritos da Ellen G. White. Foi muito bom saber mais sobre a pessoa que ela foi e como as dificuldade da sua vida, como por exemplo perder dois de seus filhos, não a abalaram. 
A vida dela foi tão repleta de acontecimentos e visões que sua biografia escrita pelo seu neto, Arthur White, filho de William, teve 6 volumes. 




Autora: Neila D. Oliveira
Editora: Casa Publicadora Brasileira
Ano: 2014
Páginas: 175
Literatura juvenil | Ellen G. White (1827-1915).

Anna Beatrice e Gary são jovens de 15 e 17 anos respectivamente, que buscam entender como Deus guiou e guia seu povo. Depois de tempos sem se ver, eles se encontram em uma acampamento em Richmond. Depois de presenciarem o funeral da Ellen G. White, eles começam uma pesquisa sobre como viveu essa mulher de 1,57 m de altura, que na sua juventude tinha cabelos escuros e olhos castanhos. 
Anna e Gary não moravam na mesma cidade, sendo assim para continuar mantendo o contato eles começam a escrever cartas um para o outro. Nestas carta tanto Anna e Gary contam os resultados de suas pesquisas.
Ela começa a fazer um diário com suas anotações, desde coisas sobre o dia a dia de Ellen até seu sonho de ser professora. De certa forma ela se tornou, através dos livros e palestras. 
A história continua e fala também da primeira vez que Ellen é sua família ouviram Gulherme Miller pregar.

"O oleiro toma o barro e molda-o segundo lhe apraz. Amassa-o e trabalha-o. Divide-o e volta a juntá-lo. Umedece-o e depois seca-o. Deixe-o em seguida durante algum tempo sem lhe tocar. Quando está perfeitamente maleável, prossegue na tarefa de fazer dele um vaso. Molda-o numa forma, e alisa-o e pule-o em volta. Seca-o ao sol e coze-o no forno. Torna-se então um vaso apto para servir. Do mesmo modo, o Supremo Artista deseja moldar-nos e formar-nos. E como o barro está nas mãos do oleiro, assim estamos nós em Suas mãos. Não procuremos fazer a obra do oleiro; compete-nos simplesmente deixar-nos moldar pelo Supremo Artífice" 
( A Ciência do Bom Viver, p. 471).

Ellen se tornou um vaso nas mãos de Deus, permitiu que ele a transformasse e que a enchesse de suas maravilhas, para ela poder transmitir para o mundo.
Deveria ser nossa escolha diária, deixar nas mãos de Deus nossas vidas, a fim de que possamos ser moldados a cada novo amanhecer. 


Boa leitura.
Beijo Grande!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós. Deixe um recadinho! Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...