quarta-feira, 9 de julho de 2014

Por que ler Machado de Assis?


imagem: caricaturas do rata
Oi amigos, hoje lanço um desafio: ler Machado de Assis, com prazer e sem compromisso. Estamos tão acostumados a valorizar o que não é nosso que podemos ler todos os livros de Nicolas Sparks e nem lembrar o nome de um livro escrito por Machado de Assis. Antes de "conhecê-lo" eu me perguntava porque este escritor é tão conhecido/reconhecido e importante. Encontrei mais que uma, diversas razões para ler os seus livros. Machado de Assis trabalhou em pleno reinado exercido por D. Pedro II e crescimento econômico, marcado pela ascensão da lavoura cafeeira, a construção de estradas de ferro, a fundação de empresas industriais, bancos, companhias de navegação. Conseqüentemente se levantava uma nova classe social, a qual seria a fonte de inspiração do escritor.


MACHADO É ATUAL
Diferente de todos os escritos da sua época, Machado mergulhou no cerne do comportamento do ser humano. Descrevia como nunca visto antes. A primeira vista ele é bom, tem todos os quesitos morais em dia. Porém, ao longo do enredo, o homem bom de Machado de Assis se corrompe por mulheres, por dinheiro, numa sociedade também corrupta. Sem dúvidas, Machado é atemporal, capaz ser atual mesmo escrito há mais de uma década.


MACHADO "BEBE" NA BÍBLIA
Conheço algumas pessoas que acreditam que literatura não é recomendada para cristão. Vamos pensar um pouco, há algumas centenas de anos atrás qual era o livro que se tinha para ler? A bíblia, claro. Até hoje este é  o livro mais lido de todos. Como meu professor de Literatura fala: Muitos escritores bebem na bíblia. Machado de Assis é um deles. No primeiro parágrafo do livro Obras Póstumas de Brás Cubas, Machado revela: “Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo. Moisés, que também contou a sua morte, não a pôs no intróito, mas no cabo: diferença radical entre este livro e o Pentateuco”. Muitas outras citações há ao longo deste e de suas outras obras.

JEITO MACHADIANO DE ESCREVER
Ainda não te convencia. Pera aí, ainda tem mais. Machado criou uma nova forma de escrever. Ao invés de parágrafos longos, ele consegue escrever com uma precisão genial a pontos de reduzir seu capítulos  de 3 a 5 parágrafos, sem superficialidade.

LIVROS DE GRAÇA
Se você se empolgou para ler é só acessar agora:
Obras Póstumas de Brás Cubas
Quincas Borba
Dom Casmurro
Helena

Boa Leitura!

Um comentário:

Sua opinião é muito importante para nós. Deixe um recadinho! Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...